Read Time:6 Minute, 32 Second

 

 

Você já sentiu isso?

Aquele frio na barriga e o coração batendo mais forte?

Você não sabe o quê, mas alguma coisa está dizendo que dessa vez será diferente. Não serão apenas palavras de mudanças, mas verdadeiros atos corajosos para embarcar de vez em uma nova jornada. Uma jornada que você sempre sonhou e desejou percorrer.

Você sente as ideias fluírem dentro de você. Você está confiante. Você sabe que o seu trabalho é tornar essas ideias livres, soltas e que existe um mundo desesperado por esse tipo de informação.

Mas você está com medo.

Você tem medo de largar o seu emprego e viver sem uma fonte constante de renda. Você tem medo dos olhares críticos e desconfiados dos seus familiares e amigos, quando eles ouvirem que a internet é agora o seu lugar de trabalho. Você tem medo de passar fome, de não ter como pagar suas contas e saber que seus familiares não poderão contar com você.

E acima de tudo?

Você tem medo de estar errado sobre você mesmo.

Talvez essa sensação seja apenas uma ilusão. Talvez as suas ideias sejam péssimas. Talvez você seja apenas um tolo em busca de uma fantasia.

Uma fantasia de viver de blog, de viver como um empreendedor digital. Sem um lugar fixo de trabalho. Sem chefes malas gritando ordens no seu ouvido. Sem o controle excessivo dos horários de “entra-e-sai”.

 

Então, você não faz nada.

Você se esconde no seu atual emprego – seguro, mas que você odeia. Você se identifica, ficando feliz quando seu amigo posta uma imagem dizendo que a sexta-feira já está chegando, ou ficando triste quando já é domingo e o trabalho lhe aguarda na segunda-feira. Você passa dia após dia contando a velha história a si mesmo de que está fazendo a coisa certa, seguindo o caminho seguro.

Mas você está mesmo?

“Não”, uma voz bem calma dentro de você assobia baixinho. “Não, isso tudo está muito, muito errado…”

 

COMO ESCREVER BEM: DESCONSTRUINDO INTRODUÇÕES VENCEDORAS

como-escrever-bem-introducoes

Você percebeu como esse artigo começou?

Sim, com uma pergunta.

Perguntas são uma ótima forma de capturar a atenção do leitor rapidamente.

“Você já sentiu isso?” é uma pergunta vaga, que desperta curiosidade.

“Aquele frio na barriga e o coração batendo mais forte?” é uma pergunta que mexe com os medos, as dores e objeções, despertando interesse na solução para evitar esses problemas.

Perguntas como essas abrem loops emocionais que precisam ser fechados. E para achar uma resposta para fechar esses loops, o leitor precisa continuar lendo as próximas palavras, a próxima frase, o próximo parágrafo.

Nosso objetivo como produtores de conteúdo pode ser resumido em 3 etapas:

Despertar o interesse para ele começar a ler nosso artigo;

Envolvê-lo com um texto tão bom que ele continuará lendo os próximos parágrafos;

Fazê-lo agir no final do artigo, usando uma ótima call-to-action.

Objetivos simples, mas nada fáceis.

 

Já vimos como escrever títulos impossíveis de serem ignorados. Eles vão despertar a atenção e o interesse necessário para o leitor começar a ler seu artigo. Etapa #1: Check!

Também vimos diversas formas de melhorar sua conversão através de call-to-actions otimizadas. Etapa #3: Check!.

Já temos os dois pães para o nosso sanduíche do artigo perfeito. Falta agora a parte mais difícil, saborosa e interessante desse sanduíche: o recheio.

Meu objetivo com esse artigo será mostrar a você diversas técnicas e dicas sobre como escrever bem, independente do seu nicho de mercado, do seu público-alvo ou de sua experiência como escritor, mesmo que você nunca tenha tirado uma boa nota na redação de sua escola.

Preparado para colocar um gosto especial nesse recheio do seu sanduíche?

Então, vamos lá!

 

3 SUPER-DICAS SOBRE COMO ESCREVER BEM USADAS NA INTRODUÇÃO DESSE ARTIGO

como-escrever-bem-3-super-dicas

Se você gostou da introdução desse artigo, você irá adorar entender porque ela funciona tão bem e como você pode “roubar” essas ideias para escrever melhor.

Apesar dessa introdução usar mais de 10 estratégias de escrita (que compartilharei mais adiante nesse artigo), irei focar inicialmente nas 3 principais.

Começaremos com a mais importante entre elas: As palavras de transição.

 

1. Palavras de Transição

como-escrever-bem-palavras-de-trasicao

Você sabe que o objetivo de uma linha de texto é fazer o leitor ler a próxima linha de texto.

Mas… como fazer o texto ficar tão conectado apenas com simples palavras?

A solução: Palavras de transição.

Palavras de transição são palavras e frases que juntam duas ideias, sentenças ou fragmentos de sentenças.

“Você deseja ser livre, mas você não sabe como.”

Palavras de transição podem incluir, por exemplo, conjunções como “e, mas, ou, para, se, senão“, exclamações como “claro, bem, sim, não” e conclusões como “logo, assim, enfim, afinal“.

Sim, essas palavras de transição podem parecer tão comuns ou tão básicas que temos medo de usá-las. Porém, eu posso garantir a você que o seu texto ficará mais claro, objetivo e gostoso de se ler.

Você pode usar o poder das palavras de transição de uma forma bem mais poderosa, ao usá-las no início de uma sentença, ou até mesmo de um parágrafo.

Sim, as palavras são poderosas quando bem escritas.

Então, nós pensamos que essa sentença está completa.

Mas a verdade é que há mais informação para vir.

E você não consegue parar até ler o resto desta sentença.

Logo, você só tem a opção de continuar lendo.

Leia os benefícios do uso das palavras de transição no início de sentenças:

Elas ajudam a escrever curtas sentenças, que são mais fáceis de ler.

Elas dão a ilusão de que o leitor está lendo mais rápido do que ele realmente está. (como aqueles livros de ficção que você devora em apenas uma noite)

Elas são inesperadas, despertando a curiosidade do leitor para saber o que está por vir na próxima linha.

 

2. Repetição de Palavras

como-escrever-bem-repeticao

A repetição de itens cria padrões. Na imagem acima, as torres gêmeas Petronas, garantem um belo visual harmônico no por-do-sol da Malásia, em Kuala Lumpur.

Já a imagem abaixo…

pareidolia

Você vê um rosto na imagem acima?

Nossa mente está acostumada a detectar padrões, até mesmo onde não existem.

Esse efeito é chamado de Pareidolia. Talvez o nome não seja comum, mas tenho certeza que você já viu algum animal ou um rosto em nuvens e montanhas. Ou até mesmo o formato de rostos humanos em objetos. Veja mais exemplos aqui: 1 | 2 | 3 | 4.

Logo, como nós podemos usar esse poder da super detecção de padrões para prender a atenção de nossos leitores?

Através da repetição de palavras (ou um conjunto de palavras) ao longo de uma sentença.

Veja um exemplo utilizado na própria introdução deste artigo:

Você tem medo de largar o seu emprego e viver sem uma fonte constante de renda.

Você tem medo dos olhares críticos e desconfiados dos seus familiares e amigos, quando eles ouvirem que a internet é agora o seu lugar de trabalho.

Você tem medo de passar fome, de não ter como pagar suas contas e saber que seus familiares não podem contar com você.

Você percebe como elas dão um ritmo a leitura e mantém uma certa magia conectada entre cada sentença?

Veja outro exemplo: (Sim, usada na mesma introdução desse artigo)

Talvez essa sensação seja apenas uma ilusão. Talvez as suas ideias sejam péssimas.Talvez você seja apenas um tolo em busca de uma fantasia.

Para você conseguir aproveitar ao máximo o poder da repetição, use-a apenas 3 vezes.

Menos do que isso, nosso cérebro não detecta um padrão.

Mais do que isso, nosso cérebro pensa como um exagero por atenção.

Falando no número 3…

♦ Leia o restante clicando no link abaixo.

Fonte: Como Escrever Bem: 19 Regras “Infalíveis” para o Sucesso

 

Curso Online rápido: http://bit.ly/2KBEMHz. Curso Online(60 dias): http://bit.ly/2GQ42c3.
0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

has been added to your cart

View Cart
X
WhatsApp WhatsApp